quinta-feira, 13 de setembro de 2012

"Ó portas levantai vossos frontões! "

"Ó portas, levantai vossos frontões"
Elevai vos bem mais alto, antigas portas,
a fim de que o Rei da glória possa entrar!"

Portal Duomo Florence 15th century

"Ó Deus, pela glorificação do Cristo e pela iluminação do Espírito Santo,
 abriste para nós as portas da vida eterna" 
Oração Laudes Liturgia das Horas Tempo Pascal




Gothic Cathedral Prague


Cambridge King's Colledge Chapel







Rouen Catedral



Notre Dame de Coutances


"Entrai por suas portas dando graças,
e em seus átrios com hinos de louvor,
dai-lhe graças, e seu nome bendizei!"
Salmo 99(100),4


Catedral de Alcobaça nave central
"Ó portas, levantai vossos frontões"
Elevai vos bem mais alto, antigas portas,
a fim de que o Rei da glória possa entrar!"
Dizei-nos: " Quem é este Rei da glória?"
 "É o Senhor, o valoroso, o onipotente, 
o Senhor, o poderoso nas batalhas!
 Salmo 23,7


Claustro o Mosteiro de Alcobaça Portugal






Podemos compreender melhor o sentido que era atribuído a uma catedral gótica, considerando o texto da inscrição gravada no pórtico central de Saint-Denis, em Paris:

“Viandante, que queres louvar a beleza destes pórticos, 
não te deixes ofuscar pelo ouro, 
nem pela magnificência, mas sobretudo pelo trabalho cansativo.
“Aqui brilha uma obra famosa, 
mas queira o céu que esta obra famosa que brilha
 faça resplandecer os espíritos, 
a fim de que com as verdades luminosas
 se encaminhem para a verdadeira luz, 
onde Cristo é a verdadeira porta”.




 Basilique Cathédrale de Saint Denis 






OFFERTORY: Tóllite portas, principes, vestras: 

et elevámini, portæ æternáles, et introíbit



 Basilique Cathédrale de Saint Denis 

"Ó portas, levantai vossos frontões"
Elevai vos bem mais alto, antigas portas,
a fim de que o Rei da glória possa entrar!"
Dizei-nos: " Quem é este Rei da glória?" 
"O Rei da glória é o Senhor onipotente, 
o Rei da glória é o Senhor Deus do universo!"! 



Cathedral da Santa Maria Nascente Milan Italy

"Senhora gloriosa,
bem mais que o sol brilhais,
do céu abris a porta 
e os tristes abrigais.

Da luz brilhante porta,
sois pórtico do Rei.
Da Virgem veio a vida
Remidos,bendizei!"

laudes



PORTA


“Transpor o limiar, “passar a porta” esses gestos aparentemente insignificantes encerram um mistério da “passagem”! Daí a existência nas sociedades tradicionais de “ritos de passagem”. Transpor uma posta para penetrar, ainda que na habitação mais humilde constitui algo grave e solene , que se torna naturalmente um rito.
A sacralidade da passagem e da porta assume todo o seu valor quando se trata do templo, razão pela qual se colocavam à entrada dos edifícios sagrados “guardas do limiar”, estátuas de arqueiros, de dragões, de leões ou esfinges, personagens semidivinas, e até divinas, como Jano dos Romanos, deus da porta-janua- e do primeiro mês do ano, aquele que “abre” o ano- januarius. Esses guardas do limiar tinham por missão recordar a quem se dispunha a entrar o caráter temível do ato que se preparava para executar ao penetrar no domínio sagrado.
”Tu que entras, volta-te para o céu”, adverte uma inscrição sobre a porta da igreja de Mozat.
Um fato verificado por todos os que visitaram as igrejas românicas e góticas é a enorme importância atribuída à decoração das portas e, sobretudo, do portal principal. Isto explica-se facilmente se observarmos que os diferentes motivos de ornamentação, meticulosamente dispostos, visam realçar e explicitar o simbolismo fundamental da porta
Se o templo é uma imagem do mundo, por outro lado, pode ser considerado uma porta aberta para o Além, segundo a palavra da Escritura que  sagrada liturgia lhe aplica:”Quão venerável é este lugar! Não é ele senão a Casa de Deus e esta é a porta do Céu."(Gen.28,17)
 Ora, demonstrou-se que a própria porta é um resumo de todo o templo.[...]é igualmente um símbolo místico. Uma vez que o templo representa o Corpo de Cristo, a porta, que é o seu resumo, também deve representar Cristo. Ele próprio disse de uma forma em clara:”Eu sou a porta. Quem entrar por mim, será salvo; poderá entrar e sair, e encontrará pastagem"João 10,9
A porta da igreja transforma-se efetivamente nesta porta mística e crística pelo rito de consagração, durante o qual o prelado faz uma unção de santo crisma em cada um dos umbrais, dizendo:”Bendita e consagrada seja esta porta.... que ela seja uma entrada de salvação e de paz; que seja uma porta de paz, por intercessão d’Aquele que a si mesmo chamou a Porta, Nosso Senhor Jesus Cristo”.
Sendo o templo cristão igualmente a figura da Jerusalém celeste, ou seja, do mundo renovado e transfigurado, do Paraíso reencontrado, é pelo Cristo-Porta que se penetra nele.
 Jean Hani  “Simbolismo do Templo Cristão” Coleção Esfinge 1998



Portal de Bronze detail Cathedral Milan Italy






Portal principal da catedral Orvieto Italia
 
The Gothic façade of the Orvieto Cathedral is one of the great masterpieces of the Late Middle Ages. Perhaps the most beautiful and eye-catching section is the golden frontage. It is decorated by large bas-reliefs and statues with the symbols of the Evangelists created between 1325 and 1330.



a fachada coberta de belos mosaicos de ouro


The Duomo was started by Pope Urban IV in the late 14th century. It features a large rose window, golden mosaics, huge bronze doors, and beautiful frescoed chapels.








But what attracts most folks is the incredible large rose window, built by the sculptor and architect Orcagna from 1354 to 1380. The religious symbolism in the rose window is significant. It features the twelve apostles, twelve Old Testament prophets, spandrels around decorated with mosaics representing the four Doctors of the Church, the frame of the window holds 52 carved heads, and the center of the window holds a carved head of the Christ. Incredible!




Roseta com mosaicos representando os 4 doutores da Igreja 
Santo Agostinho,  Ambrósio, Gregório e Jerônimo
 acima do portal principal da catedral  gótica Orvieto Itália


Portal da Igreja São Jorge Hungria 

 
Deus, àqueles que ama,
 fecha todas as portas,
menos a única.


O portal da Igreja medieval era exclusivamente simbólico. As palavras de Jesus forneceram a chave para ele: " Eu sou a porta; por mim, se alguém entrar, ele será salvo, e entrará e sairá, e achará pastagem “(João 10:9).  Esta figura de linguagem tornou-se uma base para a alegorização da igreja que era comum na Idade Média.
As inscrições do portal era freqüentemente dirigida aos fiéis a adotar um estado de espírito penitencial antes de entrar na igreja.


Beavais, Catedral de São Pedro

" Na verdade um só dia em Vosso templo vale mais do que milhares fora dele!
Prefiro estar no limiar de Vossa casa,a hospedar-me na mansão dos pecadores!"
Salmo 83,11

Catedral Salisbury

Quão amável,ó Senhor,é Vossa casa,
quanto a amo, Senhor Deus do universo!
Salmo 83,2




 vitrais
 foto Gustavo Kralj






 foto Gustavo Kralj






vitrais  foto Gustavo Kralj







efeito das luzes - vitrais

 foto Gustavo Kralj









Basílica Menor da Nossa Senhora do Rosário Caieiras Brasil ala lateral Arautos do Evangelho




Basílica Menor da Nossa Senhora do Rosário Caieiras Brasil Arautos do Evangelho
 foto Gustavo Kralj






"Ó portas, levantai vossos frontões"
Elevai vos bem mais alto, antigas portas,
a fim de que o Rei da glória possa entrar!"


Saint Patrick New York

 
Dizei-nos: " Quem é este Rei da glória?" 
"O Rei da glória é o Senhor onipotente, 
o Rei da glória é o Senhor Deus do universo!"!


Catedral gótica Beauvais

A Catedral é a figura da Cidade de Deus, da Jerusalém celeste, imagem do Paraíso – 
a liturgia da sagração das igrejas o afirma; as paredes laterais são a imagem do Antigo e
do Novo Testamento; os pilares e as colunas são os profetas 
e os Apóstolos que sustentam a abóbada de que Cristo é a chave; 
as janelas translúcidas que nos separam da tempestade 
e derramam sobre nós a claridade são os Doutores; 
o portal é a entrada do Paraíso, embelezada pelas imagens em pedra,
pelos baixos-relevos pintados e dourados, e pelos suntuosos batentes de bronze.
A Casa de Deus deve ser iluminada pelos raios do sol, 
resplandecente de claridade como o próprio Paraíso, 
porque Deus é a Luz e a luz dá beleza às coisas.
Assim também se deve aumentar a iluminação interior da Catedral,
abrindo janelas tão grandes quanto possível, 
do vértice das grandes arcadas às próprias abóbadas.
(LE GOTHIQUE A SON APOGEE – Marcel Aubert, p. 22)


stained glass


Jamais se construíram tão belas obras de arte, como na Idade Média,
 especialmente suas Catedrais grandiosas e cheias de unção, 
as quais até hoje elevam a Deus um louvor perene e enlevado.
 E elas que demonstram o espírito católico que reinava nos corações dos homens. 


"Ó portas, levantai vossos frontões"
Elevai vos bem mais alto, antigas portas,
a fim de que o Rei da glória possa entrar!"


Lincoln Catedral

"Felizes os que habitam Vossa casa;
para sempre haverão de Vos louvar!
Salmo 83,5


Basílica São Pedro foto Gustavo Krajl



"Diante dele vão a glória e a majestade"
"O Seu templo, que beleza e esplendor"



Exeter Catedral



"Nesta casa visível, que nos destes a graça de construir,
  incessantemente concedeis os Vossos favores à Vossa família que,
 neste lugar, peregrina para Vós.

Aqui nos dais o sinal admirável da Vossa comunhão connosco,
e nos fazeis participar no mistério da Vossa aliança;"

Prefácio da Dedicação de uma igreja

«A Minha casa será uma casa de oração» (Is 56,7)




Até hoje especialistas tentam decifrar como fizeram os arquitetos da Idade Média para,
 com tão pobres instrumentos, criarem obras colossais
 que “humilham” as técnicas modernas mais avançadas.
Mergulham eles nos “mistérios das catedrais”.
Enquanto o mundo parece rumar para uma modernidade cada vez mais caótica,
 as catedrais góticas em seu mutismo eloqüente apontam um caminho inteiramente diverso.
A primeira e mais imediata consideração é sobre a sabedoria dos construtores.
 Monges, teólogos, arquitetos, artistas, simples pedreiros,
 neles parecia habitar uma sabedoria que ia muito além de suas naturezas humanas,
 por vezes rudes e imperfeitas.
 Da sabedoria sobrenatural que só a graça divina dispensa às suas almas mais amadas.
 Foi essa sabedoria sobrenatural, de que a Igreja Católica é a tesoureira,

 que gerou aqueles homens e suas catedrais.
Longe da Igreja, o homem do terceiro milênio sente-se apequenado,

 tristonho e cheio de incertezas.


Catedral de Salisbury

Catedral de Tours



Nunca me cansarei de admirar a beleza da Igreja!



 Catedral de Burges-Cúpula da capilla del condestable


Um dos inúmeros destaques do templo é a “capilla Del Condestable”,
 uma verdadeira obra prima decorativa. Devido à sua grandiosidade,
 é considerada uma catedral dentro de outra catedral.
 Construída no final do séc. XV pelo arquiteto Simon de Colônia,
 nela também trabalharam os geniais Gil e Diego de Siloé.





 Catedral de Burges
No alto da nave central, admiramos o majestoso cimbório, 
obra de Juan de Vallejo, um arquiteto burgalês.
 Nas palavras do rei Felipe II, ” mais parece ser feita por anjos,
 de que por homens”.
 



Reims nave central

“Hec Domini porta via. . . est omnibus horta.
 Ianua soma vite, por me gradiendo Venite. “
Esta é a porta do Senhor, o caminho ... é aberto a todos.
 Eu sou a porta da vida, venham e passem através de mim.


Catedral Lichtfield



Mosteiro São Gerônimo Portugal


 Jesus disse então:Em verdade, em verdade vos digo:eu sou a porta das ovelhas.
 Todos aqueles que viera antes de mim são ladrões e assaltantes, 
mas as ovelhas não os escutam.
"Eu sou a porta. Quem entrar por mim será salvo,poderá entrar e sair,
 e encontrará pastagem"
Jo10,7




Mosteiro San Cugat Espanha


Santa Maria de los Reyes Laguárdia Álava



Porta Santa



Uma Porta Santa é uma porta aberta pelo Papa para marcar simbolicamente o início de
 um Ano Santo. Cada uma das basílicas maiores de Roma tem a sua Porta Santa,
 que é fechada e murada fora deste período especial.
A tradição remonta a 1423, ano em que o Papa Martinho V abriu, 
pela primeira vez na história, um ano jubilar através de uma Porta Santa na Basílica de São João de Latrão.

Rituais de abertura e fecho
De 1500 a 1975, cada Porta Santa era trancada pelo lado de fora com uma parede. 
Para abrir as portas do portão, era necessário derrubá-la: o Sumo Pontífice, de seguida, 
usava um martelo de prata para começar o derrube dando três pancadas,
 que não eram inteiramente simbólicas. 
O martelo utilizado era originalmente de um pedreiro,
 e depois tornou-se objeto de arte e de valor 
(o que foi utilizado em 1525 tinha um punho de ébano).
 Os operários, de seguida, completariam o trabalho de demolição.
A porta era removida antes da parede de pedra ser derrubada
 e era substituída logo depois porque era usada para fechar os templos de noite,
 quando os peregrinos não podiam visitá-los. I
 Os penintentes passavam depois panos impregnados com água benta sobre a porta.
No Jubileu de 2000 o Santo Padre não demoliu o muro,
 tendo apenas empurrado a Porta Santa,
 que foi completamente aberta por dois sampietrini (operários do Vaticano).
Quando o Ano Santo termina, o Sumo Pontífice fecha ele mesmo a Porta Santa, 
sempre ajudado pelos sampietrini
A reconstrução de um novo muro começa com pedras e tijolos previamente abençoados.
 Estes, e a argamassa usada para selá-los, têm uma devoção especial por parte dos peregrinos.
Antigamente o Papa colocava a primeira pedra com uma espátula em ouro.
 O seu uso foi relatado a partir de 1525.
 Pio XII foi o último a usá-la durante a cerimónia de encerramento do Ano Santo de 1950.



Porta Dourada de Jerusalém  Golden Gate

A profecia da Porta Dourada de Jerusalém

A “Porta Dourada” está cravada na muralha que rodeia a cidade velha de Jerusalém
 A melhor visão das portas gêmeas se tem quando estamos no Jardim Getsêmani, 
no Monte das Oliveiras, olhando para o Monte do Templo. 
Lá está a Porta Oriental ou também chamada na Bíblia de Porta do Vale.
 O termo “dourado” é devido ao vão da porta ter sido fechado com o mesmo tipo de pedra
 da muralha, que por sua coloração amarelada, reflete com intensidade 
os raios do sol nascente, uma vez que ela se localiza no lado oriental, ou seja, 
frente ao leste.De acordo com a Bíblia, Yeshua, atravessará o Vale do Cedron 
e entrará no Monte do Templo através desta Porta Oriental 
como Ele fez há dois mil anos atrás.
 Esta porta conduzia naquela época direto ao pátio do Santuário e,
 posteriormente, ao Santíssimo lugar, o conhecido “Santos dos Santos”,
 onde somente o sumo sacerdote entrava uma vez por ano. 
O profeta Ezequiel proclamou que o Messias prometido entraria pela Porta Oriental,
 acessando o Templo (terceiro) que em breve será reconstruído (Ez 43:1-5).
O Profeta havia dito também que a Porta Oriental seria selada (fechada) no futuro,
 preservando-a para a gloriosa e triunfal entrada do Messias (Ez 44:1-2). 
Mas, no tempo que Jerusalém era dominada pelos árabes, na época do Rei Saladino, 
 um estudioso muçulmano foi ciente desta profecia bíblica quanto à vinda do Messias judeu
 à Jerusalém, de onde Ele reinaria sobre as nações.
 No sentido de evitar este cumprimento profético,
 Saladino mandou então que esta porta fosse selada. Ironicamente, selando ele esta porta,
 mal sabia que estaria naquele momento, 
facilitando na íntegra o cumprimento desta profecia, pois o Messias Yeshua retornará
 pelo mesmo lugar onde passou outrora, pela Porta Dourada.
Tempos mais tarde, outros muçulmanos fizeram um cemitério em frente à Porta Oriental,
 pois eles sabem da “mitzvot” (mandamento judaico) que um sacerdote
 não pode passar por cima de um lugar onde esteja enterrado algum morto,
 pois de acordo com a Tora ( Num 19:16) tal atitude tornaria o sacerdote impuro.
 E o Messias, sumo sacerdote judeu, não atreveria descumprir esta lei. E agora?
 O curioso é que, a Bíblia nos revela também que uma fenda se abrirá no Vale de Cedron
 entre os Montes do Templo e da Oliveira, quando o Messias por ali regressar (Zc 14:4).
 Seria esta fenda a maneira gloriosa de remover estes túmulos muçulmanos
 e abrir definitivamente a Porta Dourada? Veremos! 
Sabemos que por duas vezes tentaram abrir esta porta, mas não conseguiram.
 Como profetizado, as portas permanecerão fechadas até o dia
 no qual o Messias passará por ela e adentrar ao Templo
 de onde reinará com seus vencedores (os crentes) por 1000 anos.
Muitos cristãos ao olharem para essa porta fazem a seguinte oração:
 "...Vem Senhor Messias Yeshua (Maran ata Mashiach Yeshua)!"


http://www.descomplicandoabiblia.com/news/a-profecia-da-porta-dourada-de-jerusalem/ 

 
Porta Dourada de Jerusalém  Golden Gate





Portico da Catedral de São Guilherme Bourghes






 
“Vos qui transitis, qui crimina flere venitis, Per me transite soma Quoniam ianua vite.
 Ianua vite soma. volo parcere. . . Venite."
"Você que está passando, vocês que estão chegando a chorar pelos seus pecados,
 passam por mim desde que eu sou a porta da vida. Eu sou a porta da vida."


 Catedral de Burgos Espanha
O exterior da catedral é surpreendente,
 com suas portas esculpidas 
com cenas do Apocalipse de São João e do Novo Testamento.
 A catedral de Burgos foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1984.
 


Westminster Catedral


O termo “gótico” ( gótico<godo=pinheiro alto), foi usado pela primeira vez pelo pintor,
 arquiteto e historiador italiano Giorgio Vasari (1574-74) para descrever 
toda a arte entre a queda do império romano e o início da Renascença.
O estilo contrastava com a perfeita harmonia da arquitetura clássica
e por isso foi associado aos povos bárbaros, mais especificamente aos godos
daí o nome. Mas segundo Henry Lyon, essa ligação, baseada “na ignorância,
não durou muito tempo, mas o nome, embora absurdo, sobreviveu,

Massaud Moisés afirma que o estilo gótico esteve “em moda na Europa ocidental
entre os séculos XII e XIV, caracterizado sobretudo pela utilização de arcos em ogiva
que simbolizavam, graças ao acentuado movimento vertical, 
a ascensão mística do homem medieval”.
O efeito causado pela luz que atravessa os vitrais,( grandes, coloridos, "Bíblia dos Pobres"), 
os arcos, a geometria da construção com seus ângulos acentuados,
tudo isso visava criar um estado de deleite estético
naquele que contemplasse a construção.


Westminster Abbey
               
 O verdadeiro Templo é Jesus Cristo e o seu Corpo Místico.



Para os cristãos franceses os labirintos eram chamados de Chemin de Jérusalem
ou Caminho de Jerusalém. 
E em igrejas como Chartres e Reims 
os peregrinos tinham de perfazer seu trajeto de onze voltas de joelhos. 
O onze estava associado ao pecado por ser o número 
que excedia aos dez mandamentos sagrados. 
Essa forma de peregrinação aludia à subida de Jesus ao Gólgota,
onde ao chegar, e antes de expirar na cruz, ele encontra o seu Deus.
Por isso a saída dos labirintos nos templos cristãos era defronte ao altar,
 para simbolizar esse encontro com o Divino. 
Os labirintos medievais encontravam-se sempre no portal oeste das igrejas


Labirinth Cathedral Chartres





Labirinth Cathedral Chartres



Alcobaça Mosteiro


Labirinto de Amiens




Cathedral Cologne 



Cathedral Cologne



Catedral Notre-Dame  Paris



Portas do Paraíso obra de Lorenzo Ghiberti elogiada pelo Miguelangelo  Florença

Deus, que abristes para nós as portas da Vossa Misericórdia,
não nos deixeis jamais afastar do caminho da vida.




igreja ortodoxa


Portal da Catedra de Sevilha



"Ego sum ​​óstio por si me QUIS introierit salvabitur
 et ingredietur et egredietur et pascua inveniet"

João 10,9
"Eu sou a porta. Quem entrar por mim, será salvo;
poderá entrar e sair, e encontrará pastagem"



video









A fachada principal de Notre-Dame de Paris, a única basílica com duas torres quadradas 
, vista para a praça em Ile de la Cité, tem a fachada com três grandes portas em arco.








 
As portas têm no centro e nos lados as estátuas.
 Em ambos os lados da principal porta e no meio 
 há uma estátua.



 à direita : a mulher inclinando a cabeça e uma serpente cobre seus olhos 
como uma bandagem e arrogantemente sibila para nós do topo de sua cabeça.
 Uma coroa fica caída a seus pés, 
algumas tábuas de pedra parecem estar escorregando de sua mão direita,
 e ela está desanimada, segurando um estandarte quebrado.
Uma imagem sinistra, de fato.

 a mulher inclinando a cabeça e uma serpente cobre seus olhos
 como uma bandagem e arrogantemente sibila para nós do topo de sua cabeça



algumas tábuas de pedra parecem estar escorregando de sua mão direita,



 e ela está desanimada,
 segurando um estandarte quebrado.



Uma coroa fica caída a seus pés



 À esquerda da porta do meio, a estátua é decididamente mais alegre.
 Com o peito e um impulso dos quadris, esta senhora está coroada 
e com um halo de santidade; a cálice transbordando na sua mão,
 confiante segura um estandarte com a cruz no peito.
A pequena bolsa fixada no cinto está repleta de graças para serem distribuídas. 

O que tudo isso pode significar?

Os nomes das estátuas vão nos dar alguma ideia. O personagem de cobra-citado acima

 é chamado de “sinagoga”.
 E a outra é chamada de “Igreja”.
 A “Sinagoga”, virando as costas para a “Igreja”, simboliza que perdeu seu poder,
 sendo derrotada e destronada; 
as tábuas de antiga lei de Moisés escorregam de sua mão.
 A “Igreja” orgulhosamente detém alta cruz de Cristo,
 e o cálice simboliza a Santa Comunhão, a Última Ceia,
 e outras coisas que não são do interesse “Sinagoga”. 















foto Gustavo Kralj







Referências
http://umolharsobreomundodasartes.blogspot.com.br/
http://arautos.org/photo/show/id/754.html
http://paris-if-you-please.parissetmefree.com/2011/02/paris-places-snake-eyes-watching-you.html
http://www.lonelyplanet.com/travelblogs/654/19708/Orvieto+%E2%80%93+Day+Trip+from+Rome%3F?destId=360086#ixzz28WbUAVIX
http://umbrasileironaespanha.wordpress.com/2012/03/15/arquitetura-gotica/
http://cienciaconfirmaigreja.blogspot.com.br/
http://catedraismedievais.blogspot.com.br/